5017777

ZF-Superbanner-01.08 a 02.11.23

A Nissan comemora nesta quinta-feira (16) o primeiro aniversário de inauguração de sua fábrica em Resende (RJ). Para celebrar a ocasião, o presidente da marca no Brasil, François Dossa, afirmou que espera vender cerca de 100 mil automóveis no país em 2015. Ano passado, a fabricante japonesa fechou o ano com 60.767 unidades vendidas

Em meio a um período turbulento da indústria automobilística, a Nissan é uma das poucas fabricantes que podem comemorar resultados neste ano. Em março, a companhia vendeu 4.674 veículos, um aumento de 60% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando emplacou 2.921 unidades (dados da Fenabrave). Audi, Mercedes, BMW, Hyundai, Toyota e Honda são outros exemplos de bonança em meio à crise do setor automotivo.

Versa, agora disponível com motor 1.0, é carro-chefe da Nissan junto com o March

O cenário favorável cria boas expectativas para a Nissan. A meta divulgada por Dossa é de alcançar 3% até dezembro, abocanhando 5% de parcela de mercado no total até 2017. A estratégia é “roubar participação de mercado dos outros”, conforme explicou o executivo, já que as principais montadores brasileiras estão acumulando quedas de produção. Para atingir esse objetivo, o presidente pretende expandir em 25% a cobertura de sua rede de lojas pelo Brasil já nos próximos seis meses (atualmente, são 164 concessionárias).

Os grandes responsáveis para cumprir com estes objetivos continuarão sendo o popular March e o sedã compacto Versa, ambos disponíveis com motores 1.0 tricilíndrico de 77 cv e 1.6 de 111 cv, produzidos no próprio complexo industrial fluminense. Em abril, a planta alcançou o número 30 mil de sua produção, e “o objetivo é dobrar até o final do ano”, de acordo com Dossa. “Não reduzimos em nada os investimentos que planejamos para cá.”

O local vem recebendo aportes de um total de R$ 2,6 bilhões para ter capacidade de produzir 200 mil veículos e 200 mil motores anualmente.

Note, possível rival do Honda Fit: esquece, não vai rolar

À ESPERA DO KICKS
Questionado sobre o segmento que mais cresce no mercado atual, Dossa diz enxergar com bons olhos a entrada da Nissan na briga dos SUVs com o Kicks, que foi mostrado como conceito compacto no Salão do Automóvel de 2014. Segundo ele, é “muito provável” que a fabricação nacional dele ocorra até as Olimpíadas de 2016. “O carro estava 90% finalizado no salão”, explicou.

Quanto ao Note, monovolume que poderia disputar espaço com o Honda Fit, os planos não são animadores. “Não pretendemos trazê-lo para cá.”

O SUV Kicks no Salão de São Paulo 2014: "Estava 90% pronto"

Reportagem em Resende (RJ)
Viagem a convite da Nissan do Brasil

Share This
5017777 Mapa do site